sábado, 22 de janeiro de 2011

Doces gostos doces


Como e possível, numa simples receita de bolinho de chuva, nos relembrar tanto a infância? Como é possível, não poderei nunca responder, mas basta-me ficar com esse delicioso gosto de infância, que parece abraçar-me fortemente.
A cada mordida dedicada ao delicioso confeito, é como puxar as lembranças com a boca. Momentos entre irmãos, amigos, familiares... Momentos que, às vezes, deixamos passar em branco. Não que seja por falta de consideração (claro), mas pela ingenuidade e falta de consciência... Falta de consciência para lembrar que esses momentos passariam.
Ás vezes, (ou quase todo o tempo, confesso...) me pego na vontade de querer voltar para lá... Lá onde bolo, o sorvete, o macarrão tinham mais sentido, mais gosto e menos explicação... Um amigo certa vez me disse que, se explicadas, muitas coisas perderiam sua magia. Mas a gente, sempre curioso, quer de tudo uma explicação. Hoje vejo que ele tem razão.
Mas onde eu estava mesmo? Ah sim, os bolinhos! Oh, os bolinhos...! Incríveis docinhos que relembram os melhores momentos da vida... E é assim mesmo... Sempre eles... Acho que é por isso que são chamados de doces... Os doces que marcam, que deixam o gosto na boca, na mente e no coração.
Pegue sua caneca, coloque chá – ou café, se preferir – e juntem-se a nós, os adoradores das lembranças, que vem através dos doces gostos doces...
Boa viagem!
                                                                     M.M
 
         Assim, o blog Feitos da Maria dá suas boas vindas, em seu primeiro post...!